O Vidro no Brasil

A primeira oficina de vidro foi construída por quatro artesãos, que acompanhavam o príncipe Maurício de Nassau. A oficina foi construída em Pernambuco e fabricava copos, jarras, frascos e vidros para janelas. Infelizmente, não teve vida longa, pois quando os holandeses foram expulsos, a mesma foi fechada.

Em 1810, o vidro voltou ao Brasil de maneira mais energica. quando, em 12 de janeiro daquele ano, o português Francisco Ignácio da Siqueira Nobre recebeu carta régia autorizando a instalação de uma indústria de vidro no Brasil. A fábrica instalada na Bahia produzia vidros lisos, de cristal branco, frascos, garrafões e garrafas. Ela entrou em operação em 1812. E fechou em 1825, devido as grandes dificuldades financeiras.

No ano de 1861 aconteceu a “1ª Exposição Nacional de Produtos Naturais e Industriais”, um evento promovido pelo governo imperial no Rio de Janeiro para mostrar aos estrangeiros que o Brasil não produzia só açúcar, café, algodão, cacau, couros e carnes salgadas. Ali foram exibidas garrafas, garrafões, frascos e globos para lampiões. Vidros e mais vidros, feitos totalmente por aqui. 

Em 1878, Francisco Antônio Esberard funda a fábrica de Vidros e Cristais do Brasil em São Cristóvão (RJ). A fábrica contava com quatro grandes fornos e três menores, usando máquinas a vapor e elétricas. Produzia vidros para janelas, lampiões, copos e artigos de mesa. A produção de cristal era comparado ao da tradicional Bacarat. Contava a mão de obra de 600 pessoas entre operários e artistas do vidro. A fábrica de Vidro Esberard esteve ativa até 1940. Outra fábrica de destacada presença foi a Fratelli Vita, da Bahia, que produziu garrafas para sodas, refrigerantes, e cristais de qualidade.

Foi só em 1895, que nasceu em São Paulo a Companhia Vidraria Santa Marina, que mais tarde se associaria ao Grupo Saint-Gobain.

Até o século XX, a produção de vidro era essencialmente artesanal, utilizando os processos de sopro e de prensagem, sendo as peças produzidas uma a uma. Foi a partir do início do século XX que a indústria do vidro se desenvolveu com a introdução de fornos contínuos a recuperação de calor e equipados com máquinas semi ou totalmente automáticas para produções em massa.

Em 1982, a indústria francesa Saint-Gobain e a inglesa Pilkington uniram suas forças para construir a primeira fábrica de vidro float do Brasil.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email